Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Compromisso para travar o investimento em combustíveis fósseis e aumentar fundos climáticos

Sexta-feira, 04.09.15

CAN-gfx-burning-1sept.jpg

Nos 4 países do G20 que integram a UE - Alemanha, França, Itália e Reino Unido -, os subsídios aos combustíveis fósseis atingiram os 14 mil milhões de Euros, em 2011, um valor quase três vezes maior do que o financiamento climático anual de cerca de 5 mil milhões de Euros, em 2013. Em toda a UE, os subsídios atribuídos aos combustíveis fósseis foram de 60 mil milhões de Euros, em 2011, seis vezes acima do financiamento climático de 9,5 mil milhões de Euros, assumido pela UE no seu todo em 2013. Estes dados estão num documento lançado pela Rede Europeia de Ação Climática.

Os Ministros das Finanças do G20 estão reunido esta semana em Ancara (na Turquia) e as associações de defesa do ambiente, como a Quercus, já fizeram um apelo para assumirem em pleno a responsabilidade de atores-chave da ação climática: acabar com os subsídios aos combustíveis fósseis e aumentar o apoio financeiro às energias renováveis, eficiência energética e adaptação às alterações climáticas.

O financiamento é a peça-chave para desbloquear uma ambição forte para a ação climática, e criar a dinâmica para a próxima Cimeira do Clima, a acontecer em dezembro de 2015, em Paris. Assumir um compromisso para eliminar os subsídios aos combustíveis fósseis e aumentar o financiamento climático são dois aspetos fundamentais para mitigar e adaptar às alterações climáticas. No entanto, apesar dos compromissos anteriores, os países do G20 parecem ter pouco apetite para medidas reais no sentido de eliminar gradualmente os apoios aos combustíveis fósseis, sobretudo os mais poluentes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 13:21


1 comentário

De Humberto a 06.09.2015 às 09:48

Então, voltam à carga com mais um texto traduzido atacando essa dos subsídios aos combustíveis fósseis...

Antes de mais, na vossa opinião, os combustíveis fósseis são sujos porquê?
Ou será melhor perguntar-vos: vocês têm opinião própria, certo?

Por causa da poluição? (apenas referida na última frase do vosso texto)

Ou por os combustíveis fósseis serem um concorrente, um empecilho, às vossas ambições? (como está, aliás, patente em todo esse texto)

É extraordinária esta coerência na preocupação manifestada com a poluição invariavelmente relegada para 2.º plano... quando não é simplesmente esquecida!


Aparentemente, segundo o «documento» que estranhamente está (neste momento em que escrevo) indisponível, Alemanha, França, Itália e Reino Unido subsidiaram essa indústria em 14.000.000.000 de euros em 2011 e o resto da UE em mais 46.000.000.000 de Euros, também em 2011.

Está bem, aceitemos... mas tendo sido os subsídios dados em 2011 e estando nós em 2015 suponho que também já haja dados quanto ao retorno conseguido. Sim, retorno porque pelo menos nesta industria dos combustíveis fósseis há sempre retorno, há sempre lucro.

O mesmo não se pode dizer daquilo que vocês defendem e das consequências que traz para a economia.
Ainda me lembro do texto que aqui colocaram a 26 de Agosto, ou melhor, da parte que não traduziram onde os seguintes valores

297.000.000 dólares

1.800.000.000 dólares

50.000.000.000 dólares

8.400.000.000 dólares

3.900.000.000 dólares

38.000.000.000 dólares

todos eles relacionados com a política climática em curso desde investimentos em energias renováveis (que já todos sabemos a quais se referem e que estão carregadas de subsídios e sem os quais nunca sobreviveriam) até aos empréstimos sob a forma de "obrigações verdes", e todos eles alimentando-se dos já corriqueiros e fraudulentos impostos sobre o CO2.

E vale mencionar que todos estes valores são-nos dados numa única notícia do "the guardian" cobrindo uma pequeníssima parte da realidade que nos é imposta.


Pena o documento estar desaparecido mas ainda segundo o "vosso" texto, a totalidade dos 60 mil milhões de Euros de subsídios aos combustíveis fósseis em 2011 em toda a UE é cerca de seis vezes superior ao do financiamento climático de 2013 de 9.500 milhões de Euros.

Isto é deveras interessante pois faz-me perguntar?

Estão vocês realmente a reclamar dos subsídios aos combustíveis fósseis?
Ou estão a reclamar de o financiamento climático ter sido "só" de 9.500 milhões de Euros?


Já agora, por onde anda o resto de dinheiro?

Estes 9.500 milhões de Euros apesar de serem já demasiados e decididamente não merecidos não é nada quando comparado com as muitas centenas de milhões de euros ou dólares postos a circular só nesse ano à custa de impostos especialmente criados e sacados aos contribuintes (cidadãos e empresas). Na verdade, uma gota de água de 9.500 milhões...

Por onde anda o resto de dinheiro?

Dos 9.500 milhões para as centenas de milhares de milhões tirados à economia à custa do CO2... vai uma diferençazinha, não acham?

Por onde anda o resto do dinheiro? Haverá neste mundo alguém que saiba concretamente por anda todo esse dinheiro?


«acabar com os subsídios aos combustíveis fósseis e aumentar o apoio financeiro às energias renováveis, eficiência energética e adaptação às alterações climáticas.
O financiamento é a peça-chave para desbloquear uma ambição forte para a ação climática»

Parece que tenho aqui pelo menos uma resposta inequívoca. Estão mesmo a reclamar de só" terem recebido 9.500 milhões de Euros para financiamento climático.


«Assumir um compromisso para eliminar os subsídios aos combustíveis fósseis e aumentar o financiamento climático são dois aspetos fundamentais para mitigar e adaptar às alterações climáticas.»

Ora aí está a confirmação! Ou reconfirmação...
Querem mais dinheiro. Querem sempre mais dinheiro. Dinheiro!

Comentar post





calendário

Setembro 2015

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930