Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Estudo defende criação de imposto sobre o carbono para produtos no mercado comunitário

Terça-feira, 21.07.15

fumos_c_LuisGalrao.jpgDe acordo com um estudo publicado pela consultora CE Delft, a União Europeia poderia reduzir os custos da ação climática através da substituição do IVA por um imposto europeu comum sobre o carbono com incidência no valor acrescentado (CAT, da sigla em inglês).

 

O CAT poderia ser inspirado no IVA mas, em vez de incidir sobre o valor, incidiria sobre a quantidade de CO2 libertada para a atmosfera em cada fase de produção, levando a que os consumidores pagassem todo o custo associado às emissões de carbono de todo o ciclo de produção.

 

O imposto, definido de acordo com um montante fixo por cada quilograma de dióxido de carbono (CO2) equivalente emitido, poderia ser aplicado tanto a produtos produzidos a nível nacional como importados, permitindo solucionar dessa forma o problema da "fuga de carbono", isto é, a deslocação da produção intensiva de energia para países sem tarifa de carbono definida.

 

De acordo com este estudo, o CAT também permitiria diminuir os custos associados à redução de emissões poluentes e estimular a inovação em tecnologias de baixo carbono, uma vez que seria do interesse das empresas reduzir o preço dos seus produtos através de um menor custo associado ao imposto sobre o carbono.

Os eurodeputados e um grupo consultivo de alto-nível da União Europeia apelaram recentemente para um ajuste de carbono nas fronteiras de modo a assegurar condições equitativas na UE entre produção e importação.

 

Este imposto sobre o carbono seria definido inicialmente em 2025 para 146€/tonelada de CO2, aumentando para 255€/tonelada de CO2 em 2050, de modo a manter o aquecimento global abaixo dos 2ºC.

 

Um preço de carbono mais de 30 vezes superior em relação ao atualmente em vigor no âmbito do Comércio Europeu de Licenças de Emissão (ETS, na sigla em inglês) mudaria drasticamente os padrões dos preços, ao aumentar entre 40 e 80% o custo de produtos com maiores emissões de carbono - tal como a produção de carne, de petróleo e gorduras animais.


Também a eletricidade, a calefacção e a alimentação se tornariam mais dispensiosas. No entanto, produtos associados a custos laborais significativos, como a restauração e o alojamento, seriam mais baratos.

 

A longo prazo, este impacto seria progressivamente reduzido, já que a criação deste imposto conduziria a maiores cortes nas emissões de carbono.

 

O estudo, disponível aqui, foi encomendado pela Universidade Técnica de Delft.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 12:33


2 comentários

De Humberto a 22.07.2015 às 11:16

É apenas um estudo... mas que melhor há na política que um estudo para testar a receptividade a determinada pretensão?
(Alguém consegue responder a isto?)


Inventaram as licenças de emissão de carbono que, para grande desilusão deles (e possivelmente vossa - quercus), o funcionamento normal da economia de mercado baixou para uns míseros 7 € por tonelada ao invés dos 30 € por tonelada a que eles esperariam que estivesse o que os fez querer "cancelar" até quatro mil e quinhentos milhões de licenças para ver se o preço delas subia... mas pelos vistos também isso não lhes chega!

O que querem agora? Um novo imposto, pois claro! Só mais um... a juntar aos muitos já criados com vista a taxar o CO2.

Mais um ou menos um com alvo no CO2, que diferença faz, não é verdade? Pois a diferença é que, não satisfeitos com os 7 € ou mesmo os 30 € das licenças, agora querem... o IVA.
Ou algo inspirado no IVA que lhes dê impostos absolutamente milionários pois pelos vistos ainda não sabem bem qual é a melhor forma de impingirem mais esta ao contribuinte europeu.
Ou será impostos trilionários? É que tal coisa já ultrapassou em muito e há muito os modestos milhõesinhos.

Quais 7 €, quais 30 €... o que querem mesmo é 146 € por tonelada de CO2 isto agora porque lá mais para a frente não se contentarão com menos de 255 € por tonelada.

Não chega já TODO o tipo de serviços e bens de consumo terem aumentado de preço devido à enorme variedade de impostos e medidas com vista a essa alegada pretensão de diminuir o CO2?


É bom lembrar que uma tonelada são apenas 1000 quilos. E agora a surpresa, espreitemos o índice de preços de várias mercadorias em
http://www.indexmundi.com/pt/pre%E7os-de-mercado/

- arroz -> 330,48 € por tonelada
- cevada -> 110,99 € por tonelada
- milho -> 148,69 € por tonelada
- sorgo -> 189,94 € por tonelada
- trigo -> 187,18 € por tonelada


Já conseguem ter melhor ideia das pretensões destas pessoas? E do quão mais caros poderiam ficar estes e outros bens essenciais?


Quanto aos poluentes, (os verdadeiros poluentes que esses sim, deveriam querer reduzir a todo o custo) esses também serão reduzidos (defendem-se eles) mas (como se vê) apenas como um mero efeito secundário da perseguição aos euros €... perdão, da perseguição ao CO2.


Qual defesa do ambiente, qual defesa do nosso futuro, qual defesa do futuro dos nossos descentes, quais calamidades ambientais, quais quê? A única coisa que querem é dinheiro e mais dinheiro e apenas mais dinheiro.

E, mais uma vez, tudo começa com um simples estudo...

Vocês aí na quercus, não conseguem ver o absurdo de tudo isto? Ou a ganância?

Com um novo imposto como este, para onde iria parar agora o preço do pão? Do arroz, das massas, das farinhas ou da fruta? Teriam os mais pobres de passar a cultivar batatas no seu quintal para terem o que comer? Ou talvez nas varandas os que não tenham quintal?

E ainda há quem diga que é mau o aquecimento global que dizem estar a acontecer!

Deixem-nos à solta a fazerem o que bem quiserem e entenderem e depois queixem-se!

De Angela Landolt a 14.09.2015 às 18:45

Dear Ladies and Gentlemen,

I am a student at the Institute of Mass Communication and Media Research (IPMZ) University of Zurich. As part of my Master's thesis, I am conducting a survey on how climate change bloggers’ perceive themselves and their role in the climate change debate.

If you blog about climate change, I would like to ask you to participate in my survey. Your contribution will help us to gain valuable insights into the field of climate change blogging.

Link to the survey: http://ww2.unipark.de/uc/landolt_Universit__t_Z__rich/64cf/

The questionnaire will take about 7 minutes to fill out.
There are no right or wrong answers. I am interested in your personal opinion.
The study does not serve any commercial purpose. The data provided is solely for the purpose of scientific analysis and is evaluated anonymously.
The questionnaire can be filled out in English and German.
Please feel free to contact me if there are further questions or comments.

Angela Landolt B.A.

Comentar post





calendário

Julho 2015

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031