Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


ONG pedem o fim dos subsídios aos combustíveis fósseis

Sexta-feira, 04.12.15

COPflyerRevweb.jpg

A Rede europeia de Ação Climática (CAN, na sigla inglesa), que inclui a Quercus, apela esta sexta-feira na #COP21 ao fim dos subsídios aos combustíveis fósseis. De manhã, os activistas realizaram uma acção de sensibilização num dos espaços onde decorre a Cimeira do Clima, e à tarde, em parceria com a Oil Change International promovem um evento paralelo com o tema “A eliminação progressiva dos subsídios aos combustíveis fósseis e o Acordo do Clima de Paris”.

Os activistas pretendem alertar para os 422 biliões de dólares gastos anualmente pelos países do G20 em apoios à produção destes combustíveis, uma enorme quantidade de dinheiro que dizem poder ser aplicada de melhor forma. Ambas as iniciativas inserem-se na campanha #StopFundingFossils, lançada em Novembro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 13:08

Mais de 500 empresas e instituições comprometem-se a desinvestir em combustíveis fósseis

Sexta-feira, 04.12.15

500divest.png

É uma das boas notícias da semana, anunciada na quarta-feira num evento paralelo da Cimeira do Clima: a campanha pelo desinvestimento em combustíveis fósseis atingiu um novo recorde na COP21, onde mais de 500 instituições que representam mais de 3,4 triliões de dólares em activos assumiram algum tipo de compromisso de desinvestimento.

O anúncio foi feito pelas organizações 350.org e Divest-Invest, promotoras da campanha, e representa um salto importante. No entanto, as organizações salientam que este valor representa o valor total de activos geridos pelas instituições envolvidas e não o montante total de desinvestimento, dado que há diferentes níveis de compromisso.

Para os activistas, trata-se de um sinal de que os investidores estão finalmente sensibilizados e começam a transferir rapidamente o capital dos investimentos em combustíveis fósseis para outros de energias limpas e renováveis. O anúncio segue-se a outro, de Bill Gates e de um grupo de investidores, que na segunda-feira lançaram uma nova coligação privada (e milionária) para apoiar a inovação na área das energias limpas - a Breakthrough Energy Coalition.

Entre as entidades que já assumiram o desinvestimento nos combustíveis fósseis incluem-se a seguradora europeia Allianz, o Rockefeller Brothers Fund, o fundo de pensões holandês PFZW, a London School of Economics e outras cinco universidades britânicas, a par de cidades como Oslo, Bordéus ou Melbourne, entre outras. Os níveis de compromisso variam, e incluem alienações parciais ou apenas focadas num combustível fóssil em particular, como o carvão ou as areias betuminosas, pelo que as ONG consideram que há ainda muito caminho a percorrer. 

Notícias relacionadas:

Combustíveis fósseis estão na mira do "desinvestimento"

Fossil fuel aversion rising fast for big investors

$3.4 Trillion: Fossil Fuel Divestment Commitments Break New Record

Fossil Fuel Divestments Reach $3.4 Trillion at Paris Talks

Bill Gates, Mark Zuckerberg e Jeff Bezos juntos pelas energias renováveis

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 12:17

Marchas pelo clima juntaram mais de 785 mil pessoas em 175 países na véspera da #COP21

Terça-feira, 01.12.15

2911_Londres_c_350.jpg

Londres, Inglaterra

(Actualizado) Mais de 785 mil pessoas* desfilaram no sábado e no domingo nas ruas de centenas de cidades e vilas de todo o mundo, num fim de semana de acção pelo clima, na véspera do arranque da Cimeira do Clima, a COP21, que começou ontem oficialmente em Paris, e de onde se espera que saia um novo acordo sólido e universal que acabe com as emissões de gases de efeito de estufa e mantenha o aquecimento global abaixo dos 2ºC (ou dos 1,5ºC, como defendem alguns sectores).

2911_Zurique_c_350.jpg

Zurique, Suiça

A iniciativa promovida por várias redes de ONG de ambiente, desenvolvimento e sindicatos, pretendeu pressionar os líderes mundiais a aumentar as acções contra as alterações climáticas e a alcançar as metas de 100% de energia renovável, de eliminação da pobreza e de protecção das pessoas contra o agravamento dos impactos climáticos.

2911_Melbourne_c_350.jpg

Melbourne, Austrália

No total, foram realizados mais de 2300 eventos em 175 países, incluindo Portugal, onde houve acções em Lisboa, Porto e Coimbra, entre outros locais. Em vários países, os organizadores apontam para números recorde neste tipo de marchas pelo clima, como na Austrália, com 140 mil participantes (incluindo 60 mil em Melbourne), na Índia, com outros 140 mil, Grã-Bretanha, com mais de 50 mil em Londres, e Espanha, com mais de 20 mil em Madrid, por exemplo.

2911_Paris_c_350.jpg

Paris, França (Fotos 350.org - CC BY-NC-SA 2.0)

Em Paris, onde acabaram por registar-se alguns confrontos com as autoridades, foram colocados mais de 20 mil pares de sapatos na Praça da República, incluindo do Papa Francisco e secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, em nome das 400 mil pessoas que eram esperadas na marcha naquela cidade. Depois disso, 10 mil pessoas deram as mãos num cordão humano em solidariedade com as comunidades afectadas pelas alterações climáticas. Ver mais fotos das principais acções.

(*número de participantes actualizado de 570 mil para 785 mil, a última estimativa da organização)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 15:18

Crenças pela Paz

Terça-feira, 01.09.15

faiths for earth.png

"As alterações climáticas são um dos maiores desafios morais do nosso tempo", dizem em uníssono os líderes de várias crenças religiosas - Budista, Cristã, Hindu, Islâmico, Judaica, entre outras. Juntos lançaram uma campanha e uma petição para pedir aos chefes de Estado de todo o mundo para que seja possível criar um mundo com 100% de energia renovável até 2050. Petição em português aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 12:05

Dia de Ação Global pelo Clima assinalado em Lisboa

Quarta-feira, 10.06.15

Activistas da Quercus e da Climáximo juntaram-se no dia 30 de Maio na Ribeira das Naus, em Lisboa, para juntar mais vozes ao Dia de Ação Global pelo Clima. Conheça aqui alguns dos testemunhos de activistas e cidadãos que participaram na iniciativa. Veja também as fotogalerias da Quercus (anexa) e da Climáximo.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 12:15

Lisboa adere ao primeiro Dia de Ação Global pelo Clima

Sexta-feira, 29.05.15

nao_fritem_o_planeta_500.jpg

No próximo sábado, dia 30 de Maio, a Quercus vai associar-se a vários grupos de cidadãos e ativistas, numa mobilização que acontecerá na Ribeira das Naus, em Lisboa, com o seguinte programa de atividades:

9h00 – Pintura de Mural
(Local a confirmar, em Lisboa)

17h00 – Concentração: Ribeira das Naus, Lisboa

Várias atividades:
- Fotos
- Gravação de curtas mensagens vídeo
- Corrida pelo Clima
- Petições
- Intervenções de especialistas

22h00 – Festa pelo Clima
Festa no Mob – Espaço Associativo (http://moblisboa.org).

Esta mobilização em Lisboa está a ser divulgada através de um evento na rede social Facebook, disponível em https://www.facebook.com/events/495719753915294/ 

Este será o primeiro Dia de Ação Global pelo Clima por toda a Europa e todo o Mundo, com várias ações de mobilização que vão chamar a atenção para o problema das alterações climáticas.

Este movimento internacional é coordenado por um vasto leque de redes e grupos climáticos, incluindo Greenpeace, 350.org, Avaaz, Rede de Ação Climática, Coligação Climática 21, Amigos da Terra Europa e WWF.

GetUpAnd.jpg

O primeiro Dia de Ação Global pelo Clima foca-se nas consequências das alterações climáticas, apelando aos participantes para agirem urgentemente. Por todo o mundo, os vários movimentos partilham a expressão disseminada nas redes sociais #GetUpAnd, que é depois completada e personalizada por cada uma das iniciativas. Em Lisboa, o apelo também em forma de hashtag dirá #Naofritemoplaneta.

2015 será um ano decisivo para o Planeta

Em Dezembro de 2015, decorrerá em Paris a 21ª Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP-21), onde será assinado o novo Acordo Global pelo Clima (Acordo de Paris), que entrará em vigor em 2020.

Até lá, estão previstas diversas ações para pressionar os líderes mundiais a assumirem metas e medidas ambiciosas para combater as alterações climáticas.

Por todo o mundo, os cidadãos exigem:
- O fim do investimento em combustíveis fósseis e energia nuclear e o fim da destruição das florestas
- Uma transição justa para 100% de energia renovável e de acesso a todos até 2050. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 21:16

'The Guardian' apela ao desinvestimento nos combustíveis fósseis

Terça-feira, 07.04.15

O jornal britânico The Guardian lançou recentemente a petição “Keep it in the gound” (mantenha [os combustíveis fósseis] no subsolo), que apela à Fundação Bill e Melinda Gates e ao Wellcome Trust para desinvestir nos combustíveis fósseis. A iniciativa, em parceria com a plataforma 350.org, insere-se numa campanha global contra as alterações climáticas e em defesa de uma transição para uma economia de baixo carbono.

“As alterações climáticas constituem uma ameaça real para todos, e é moralmente e financeiramente errado investir em empresas dedicadas a encontrar e a queimar mais petróleo, gás e carvão”, defendem os promotores da petição, que pede que as duas entidades assumam o compromisso de desinvestir nas 200 maiores empresas com investimentos no sector dos combustíveis fósseis, dentro de cinco anos, e suspendam imediatamente quaisquer novos investimentos nessas empresas.

A campanha fundamenta-se nas evidências de que as actuais reservas de combustíveis fósseis são mais de três vezes superiores ao que nos podemos dar ao luxo de queimar se quisermos permanecer abaixo do limite consensual para uma alteração climática perigosa, ou seja, abaixo dos 2ºC de aumento da temperatura global. Assine a petição em português.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 18:55

Milhares de cidades e vilas apagam hoje as luzes durante a "Hora do Planeta"

Sábado, 28.03.15

HoraPlaneta2015.jpg

Mais de sete mil cidades e vilas de todo o mundo vão apagar hoje as luzes de momumentos, edifícios e até da iluminação pública, entre as 20h30 e as 21h30, na iniciativa "Hora do Planeta", promovida pela organização internacional de defesa do ambiente World Wildlife Fund (WWF). Em Portugal, vão aderir a esta nona edição pelo menos 117 municípios, numa acção conjunta sob o lema "usa o teu poder contra as alterações climáticas". 

Em Lisboa, está programada uma acção mais alargada, a partir das 19h, na Praça do Martim Moniz, com a "Glow Village", evento que inclui a criação de murais artísticos com a Associação Renovar Mouraria, demonstrações de dança da escola Jazzy Dance Studios, uma aula de Zumba do Ginásio Clube Português e pinturas faciais a quem tenha kit de participação (inscrições aqui).

A "Hora do Planeta" começou em 2007, em Sidney, na Austrália, quando 2,2 milhões de pessoas e mais de 2.000 empresas apagaram as luzes por uma hora numa tomada de posição contra as alterações climáticas. Mais informações aqui.

Minuto Verde da Quercus sobre a "Hora do Planeta":

Hora do Planeta: Desligue as luzes no sábado 28 de Março, entre as 20h30 e as 21h30! from Quercus on Vimeo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 10:47

Mais de 310 mil na Marcha do Clima em Nova Iorque

Domingo, 21.09.14

As primeiras estimativas apontam para mais de 310 mil participantes na grande Marcha do Clima que está a decorrer em Nova Iorque desde as 11h30 locais (16h30 em Lisboa), números que fazem da iniciativa a maior marcha de sempre contra as alterações climáticas. O Francisco Ferreira e a Rita Antunes também estão a desfilar em representação da Quercus e de Portugal neste Dia de Ação Global pelo Clima!

Como explica aqui o Francisco Ferreira, centenas de milhares estão a dizer aos líderes políticos que reunirão na terça-feira, nas Nações Unidas, que é necessário salvar o clima, num alerta sem precedentes para que este problema se comece a resolver a sério.

Notícia na SIC, com declarações da Quercus (min 2:07):

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 19:53

Lisboa também diz não às alterações climáticas

Domingo, 21.09.14

Mais de três centenas de pessoas concentraram-se esta tarde na Praça do Rossio, em Lisboa, para dizer não às alterações climáticas, um problema considerado por vários dos oradores como a principal ameaça que a humanidade enfrenta. A iniciativa inseriu-se no Dia de Ação Global pelo Clima, que contou com ações em centenas de cidades de todo o mundo, com o objectivo comum de alertar os líderes mundiais que é urgente mudar de rumo pelo futuro do nosso planeta.

Continua também a decorrer em Nova Iorque a Marcha pelo Clima, onde algumas dezenas de milhares de activistas desfilam divididos em seis temas: 1. Uma frente de crise, uma oportunidade de mudança; 2. Conseguimos mudar o futuro; 3. Temos soluções; 4. Sabemos quem são os responsáveis; 5. O debate terminou (passar dos factos as ações); 6. Para que tudo mudo, precisamos de todos. A Quercus está presente com outras organizações não governamentais de ambiente no tema 3 da marcha – “Temos soluções”. 

O objetivo principal é apelar aos Chefes de Estado, de Governo e Ministros que participarão na Cimeira da ONU dentro de dois dias, na Sede das Nações Unidas em Nova Iorque, para anunciarem e se comprometerem com a resolução do problema das alterações climáticas, cujos prejuízos são visíveis à escala mundial e se agravarão significativamente se não invertermos o ritmo crescente de emissões de gases com efeito de estufa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 18:42





calendário

Novembro 2016

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930