Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Sociedade civil pede aos ministros para aumentar a ambição na reta final da #COP21

Quarta-feira, 09.12.15

091215_23552820101_fce3739882_z.jpg

Foi conhecido às 15h20 um novo texto do Acordo de Paris que tem de estar fechado na próxima sexta-feira, como reforçou o ministro francês Laurent Fabius, que preside à 21ª Conferência das Partes (COP21) da Convenção das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas.

Neste momento, os cerca de 200 países aqui presentes têm dois caminhos possíveis: o primeiro, de conseguir um Acordo ambicioso que consiga colocar o mundo do objetivo do limite de aumento de 1,5ºC - 2ºC e para tal é preciso uma linguagem reforçada; o outro, um acordo fraco sem mecanismos para que se possa melhorar a ambição do mesmo.

O texto divulgado esta tarde tem algumas melhorias, mas é preciso mais. Os parágrafos em aberto foram reduzidos para um quarto. Há uma referência ao limite de 1,5ºC e há ainda a referência à importância de lidar com as "perdas e danos". As visões de longo prazo continuam no texto, mas a sua extensão ainda continua entre parêntesis.

Mas é preciso mais. E é preciso que a União Europeia faça mais nesta reta final. É necessário que o mecanismo de revisão da ambição fique no texto de forma clara e que esta revisão comece ainda antes de 2020 para acelerar a redução de emissões de gases de efeito de estufa.

No objetivo de longo prazo é necessário que fique no texto a descarbonização da economia até 2050, de forma a que seja possível a transição da economia baseada em combustíveis fósseis para uma economia baseada em energias renováveis e eficiência energética.

É necessário um texto mais claro sobre as consequências e necessidades de apoio à adaptação e perdas e danos das comunidades mais vulneráveis e os mecanismos de financiamento aos mesmos.

Os líderes mundiais têm agora a última oportunidade para agarrarem este movimento que cresce aqui na capital francesa e conseguir o Acordo de Paris que os cidadãos de todo o mundo esperam deles.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por Quercus às 18:04

Última hora: Divulgado na #COP21 o novo esboço do Acordo de Paris

Quarta-feira, 09.12.15

Draft Paris Outcome - Version 1 of 9 December 2015 at 15:00 por Quercus ANCN (PDF)

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por Quercus às 14:29

Greenpeace pede um Acordo de Paris ambicioso que respeite os povos indígenas

Quarta-feira, 09.12.15

IMG_20151209_091421_aurora.jpg

Com o aproximar do final da #COP21, as ONG intensificam a pressão sobre as quase 200 delegações para que cheguem a um acordo climático ambicioso até sexta-feira. Há pouco, uma ursa branca gigante chamada Aurora, ajudou algumas dezenas de activistas do Greenpeace e de representantes de povos indígenas a pedir mais ação contra as alterações climáticas e que o futuro Acordo de Paris respeite os direitos destes povos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 12:10

Dicas para um bom dia de trabalho na #COP21

Quarta-feira, 09.12.15

IMG_20151209_092526_eco.jpg

A entrada no Le Bourget está preparada para dar energia aos delegados e observadores que participam nesta COP21. Aqui ficam as dicas:

Aceite uma maçã biológica para o meio da manhã. A seguir tem outra banca com tabletes de chocolate "carbon neutral" e "fair trade". Agarre numa, não vá não ter tempo para almoçar.

Sorria, diga "Bonjour!" e aceite um "ECO" (o jornal diário das ONG) que voluntários da Rede de Ação Climática distribuem na avenida principal entre os pavilhões da COP, chamada "Champs-Élysées" e dirija-se ao Café da Alemanha (em frente ao pavilhão da União Europeia) onde pode pedir um café grátis.

Quer melhor começo de dia de trabalho que este? 

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por Quercus às 09:15

Presidência da #COP21 divulga amanhã versão revista do projeto de Acordo de Paris

Terça-feira, 08.12.15

08dez15_comite05.jpg

Uma versão “limpa” do Acordo de Paris, com menos opções em aberto, será apresentada amanhã à tarde, pelas 13h (12h, em Lisboa), na terceira sessão do Comité de Paris. O anúncio acaba de ser feito na segunda sessão deste fórum promovido pelo presidente da COP21, Laurent Fabius, ministro francês dos negócios estrangeiros (vídeo).

Será ainda um documento em aberto decorrente das negociações do início da semana – que continuam informalmente em cerca de uma dezena grupos de trabalho coordenados por delegados de vários países – mas deverá ter muito menos parêntesis retos, que no papel correspondem aos parágrafos que ainda não reuniram consenso.

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por Quercus às 19:25

ONG defendem limite de 1,5ºC

Terça-feira, 08.12.15

IMG_20151208B_131259.jpg

As ONG presentes no centro de conferências Le Bourget realizaram hoje uma ação de rua, com o apoio de vários países, nomeadamente do grupo dos mais vulneráveis, para pedir mais ação climática. A iniciativa decorreu ao lado de uma réplica da Torre Eiffel, junto da qual havia dois caminhos desenhados no chão: um que leva 1,5ºC de aquecimento e outro a 3ºC.

Numa breve encenação, um ativista representando os ministros aqui presentes entra no caminho dos 3ºC, enquanto outros gritavam "não!". Outros participantes representavam alguns dos últimos pontos em aberto na mesa das negociações: ambição pré-2020, revisão de implementação pré-2020, revisão dos compromissos nacionais pré-2020, ciclos de revisão de 5 anos e o objetivo de longo prazo.

No fim, o “ministro” improvisado conseguiu passar todas as barreiras das negociações e chegar finalmente ao caminho que leva ao objetivo de 1,5ºC, o único que assegura menores impactos sobre o clima global e o cenário que as ONG esperam que aconteça nas negociações reais até sexta-feira. (ver fotogaleria da ação)

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por Quercus às 17:08

Ministro do ambiente: "o nosso objetivo é um futuro sem emissões de carbono" 

Terça-feira, 08.12.15

jmf04.jpg

O ministro português do ambiente, João Matos Fernandes, interveio esta manhã no segmento ministerial da COP21 (agenda), que decorre em Paris até sexta-feira, para dizer que “o sucesso em Paris será medido pelo grau de ambição que conseguirmos consagrar no Acordo” e para assegurar que “Portugal está totalmente empenhado com a profunda descarbonização da sua economia” (ver texto integral ou vídeo).

No entanto, o novo governante admite que “na situação atual, o nível de ambição para 2030 ainda não é suficiente para nos manter abaixo dos 2ºC” de aquecimento global, o que significa que a COP21 deverá aprovar “um Acordo firme que dê um sinal claro de que todos os países estão comprometidos com a descarbonização e com a adoção de opções de baixo carbono a um nível nacional, em linha com um objetivo global.” Nesta “viagem de longo curso”, Portugal pugnará por “um processo global de revisão a cada 5 anos”, que “reforce as contribuições nacionais”.

José Matos Fernandes recordou que o país “cumpriu o seu primeiro período de compromisso das metas de Quioto e está a caminho de cumprir a sua segunda meta do período de compromisso para 2020”. Lembrou também que já foi aprovado um quadro estratégico “que define a visão e os objetivos de política climática nacional e que inclui o Programa Nacional para as Alterações Climáticas, com uma meta de redução de 30% a 40% abaixo dos níveis de 2005 até 2030, incluindo metas sectoriais; e a segunda fase da Estratégia Nacional de Adaptação, com especial ênfase no conhecimento, integração e implementação.”

Neste âmbito, assegurou, “Portugal está totalmente empenhado com a profunda descarbonização da sua economia”, mas apesar de terem sido dados passos “em termos de redução da poluição industrial, na promoção das energias renováveis, reduzindo a dependência das importações de energia e a intensidade de carbono da nossa economia” é preciso ir mais longe, porque “o objetivo é um futuro sem emissões de carbono.”

“Precisamos de aumentar a ambição no que respeita ao nível de emissões provenientes dos setores residencial e de serviços e dos transportes, o que exigirá a adoção de um conjunto de medidas nas áreas da reabilitação urbana, da eficiência energética e da mobilidade sustentável, contribuindo para uma verdadeira politica integrada de cidades, tendo o novo Governo de Portugal concentrado todas estas competências no Ministério do Ambiente.” 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 12:32

Segmento Ministerial começa hoje na #COP21

Segunda-feira, 07.12.15

logo-cop-21s.jpg

Começa hoje a segunda e decisiva semana da 21ª Conferência das Partes (COP21) da Convenção das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, que tem o encerramento agendado para 11 de dezembro em Paris.

Os Ministros reunidos nos próximos três dias em Paris têm de avaliar, negociar e aprovar o Acordo de Paris, cujo novo texto foi divulgado no sábado, pelo Grupo de Trabalho Ad Hoc da Plataforma de Durban para uma Ação Reforçada (ADP) responsável pelo mesmo. O documento tem ainda 48 páginas (incluindo anotações) e ainda muitas opções em aberto.

O texto está mais claro e menos confuso mas, com as questões que ainda tem em aberto, ainda não se consegue avaliar se irá resultar num bom ou mau acordo no final da COP 21. O Acordo de Paris não irá resolver o problema das alterações climáticas por milagre, mas é essencial que coloque a política internacional de combate às alterações climáticas no caminho do limite de aumento de temperatura de 1,5ºC - 2º Celsius, em vez dos 3º Celsius de agora.

Existem várias questões onde o conteúdo do texto pode ainda vir a ter uma diferença significativa em função das opções escolhidas. A questão do tratamento diferenciado entre países desenvolvidos e em desenvolvimento é agora menos marcada, mas isso não espelha a variação de impactes decorrentes das alterações climáticas nos diferentes países. As questões de financiamento continuam a ser vitais e ainda não estão suficientemente claras, principalmente para os países com menores recursos e menores capacidades de lidar com a adaptação às alterações climáticas.

Houve progresso em relação à aceitação de um período de revisão dos contributos nacionais de 5 anos, mas não está agora definida uma data de início desta revisão, nem é explícito se qualquer país pode tomar a iniciativa de os rever antes de cada ano comum de revisão a fixar e se tal revisão é efetivamente obrigatória. Está ainda em aberto se o Acordo irá ter uma linguagem mais forte em questões como a adaptação e o trabalho necessário desenvolver no período pré-2020.

Segundo a Agenda da COP 21, os ministros presentes no segmento de alto nível, irão fechar o texto a 9 de dezembro, para ser traduzido nas 6 línguas oficiais das Nações Unidas no dia 10 de dezembro e dia 11 será aprovado o texto do Acordo e das restantes Decisões.

Este segmento ministerial contará com as intervenções dos governantes presentes, incluindo o novo Ministro do Ambiente, José Matos Fernandes, com intervenção agendada para amanhã de manhã (dia 8 de dezembro, entre as 9h e as 12 horas). A Quercus tem reunião marcada com o Ministro do Ambiente dia 8 de dezembro, às 14h30 (de Lisboa), para discutir o avanço das negociações e a posição de Portugal e da União Europeia nas mesmas.

É agora necessário que os Ministros presentes em Paris trabalhem bastante para conseguirem um bom acordo. Se não sair um Acordo de Paris, irá ser um sinal muito fraco de vontade política e de injustiça para todo o mundo.

A Quercus na COP 21

A Quercus fará parte da delegação oficial de Portugal enquanto representante das organizações não governamentais de ambiente, fazendo-se representar em Paris, a partir de 8 de Dezembro, por João Branco, Presidente da Direção Nacional e Ana Rita Antunes, Coordenadora do Grupo de Energia e Alterações Climáticas, acompanhando os trabalhos até ao fim da Conferência e anunciando os resultados conhecidos.

Toda a informação sobre a Conferência de Paris e as posições das Associações de defesa do ambiente estão a ser permanentemente atualizadas em:

climaticas.blogs.sapo.pt

twitter.com/QuercusCOP21

facebook.com/quercusancn

Lisboa, 7 de Dezembro de 2015

A Direção Nacional da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por Quercus às 11:18

Autarcas assumem meta de 100% de energias renováveis contra as alterações climáticas

Sábado, 05.12.15

1000mayors_c_AnneHidalgo.jpg

Cerca de mil autarcas, incluindo representantes de sete municípios portugueses, participaram ontem no encontro “Cidades pelo Clima” promovido pela presidente da câmara de Paris, Anne Hidalgo, à margem da COP21. O principal resultado da reunião, que decorreu nos Paços do Concelho da capital francesa, foi o compromisso com metas de longo prazo contra as alterações climáticas, nomeadamente a transição de cada comunidade para 100% de energias renováveis, ou uma redução de 80% das emissões de gases de efeito de estufa até 2050.

Com o objectivo de superar as metas do futuro Acordo do Clima de Paris, os compromissos incluíram também a elaboração e implementação, até 2020, de estratégias locais de resiliência, bem como de planos de acção para adaptar as comunidades ao aumento da incidência dos perigos relacionados com as alterações do clima. Outro compromisso passa pela redução anual (conjunta) de 3,7 gigatoneladas de emissões de gases de efeito estufa, até 2030.

leo-v3.jpg

O encontro patrocinado pela fundação Bloomberg Philanthropies contou a presença do secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, bem como de personalidades envolvidas no tema, como os actores Leonardo DiCaprio, Robert Redford e Sean Penn. DiCaprio, actor, ambientalista e embaixador da ONU para as questões climáticas, apelou aos autarcas que sigam o exemplo de "cidades-modelo, como Vancouver, Sydney, Estocolmo e Las Vegas”, que já se comprometeram a utilizar 100% de energias renováveis ​​nas próximas décadas.

Por seu lado, a ONU aproveitou a ocasião para (re)divulgar o relatório “Estado das Finanças Climáticas das Cidades” (lançado na Cimeira do Clima das ONU, em Setembro), que faz um conjunto de recomendações às cidades, incluindo a adopção de políticas e incentivos ao investimento em infra-estruturas de baixo-carbono resistentes às alterações climáticas. De Portugal, participaram no encontro autarcas de Lisboa, Almada, Águeda, Alfandega da Fé, Oeiras, Reguengos de Monsaraz e Vila Real.

Notícias relacionadas:

COP21: Almada quer salvar Caparica e Lisboa atua nas águas, transportes e eficiência emergética

Cidades querem pressionar chefes de Estado a agir

Autarcas pedem medidas concretas sobre o clima a chefes de Estado e Governo

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 16:51

Grupo de trabalho da #COP21 aprova rascunho final do acordo climático de Paris

Sábado, 05.12.15

O Grupo de Trabalho Ad Hoc da Plataforma de Durban para uma Ação Reforçada (ADP) acaba de divulgar a versão final da proposta do Acordo de Paris, que irá agora ser avaliada e negociada a nível político ao longo da próxima semana. O documento tem ainda 48 páginas (incluindo anotações) e ainda muitas opções em aberto:

Draft Paris Agreement por Quercus ANCN (ver adenda)

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por Quercus às 11:09





calendário

Novembro 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930




subscrever feeds