Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Governação climática não chega para ficar abaixo dos 2ºC

Quarta-feira, 02.09.15

Captura de tela 2015-09-02 14.48.23.png

 

Os objetivos climáticos nacionais (INDC) até agora apresentadas à ONU pelos governos presentes em Bona, não é suficiente para manter o aquecimento global abaixo dos 2ºC, mostra o estudo divulgado hoje por 4 identidades independentes e liderado pelo Climate Action Tracker (CAT).

Vinte e nove países, que representam cerca de 65% das emissões globais, já apresentaram as suas contribuições nacionais (INDCs, na sigla em inglês). O CAT avaliou 15 INDC, correspondente a 64,5% das emissões globais. Nesta avaliação apenas 2 países apresentaram INDC "suficientes" coerentes com o objetivo dos 2ºC: Marrocos e Etiópia. A avaliação de adequação "média" foi atribuída a 6 países (China, União Europeia, México, Noruega, Suíça e Estados Unidos da América). As contribuições de Austrália, Canadá, Japão, Nova Zelândia, Singapura, Coreia do Sul e Rússia foram consideradas inadequadas, por não serem contribuições justas de praticamente todos os parâmetros analisados. 

A maioria dos governos que já apresentaram os seus INDC precisa de rever os seus objetivos à luz do objetivo global e, na maioria dos casos, reforçá-los. Aqueles que ainda estão a trabalhar as suas metas precisam de garantir que atingem o maior contributo possível.

Os dez maiores emissores que ainda não apresentaram as suas contribuições nacionais são: a Índia, o Brasil, Irã, Indonésia, Arábia Saudita, África do Sul, Tailândia, Turquia, Ucrânia e Paquistão, representando em conjunto 18% das emissões das emissões globais ainda não abrangidos por INDCs.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 15:23


1 comentário

De Humberto a 03.09.2015 às 10:46

Lamento informar mas, para não variar, esse gráfico apenas mostra as já famosas projecções baseadas em suposições tão características de anteriores e semelhantes estudos.

projecções:

- resumem-se a especulações por serem resultantes de modelos climáticos informáticos duvidosos que, inevitavelmente, sempre se mostraram errados já que nunca o clima global se comportou como previsto por esses modelos, nunca tais modelos acertaram em alguma das suas projecções (e querem que acreditemos que é desta que acertam!);

suposições:

- que as metas definidas pelos países serão mais ou menos respeitadas;

- e, ilusão das ilusões, que o clima global se comportará de acordo com os (incompletos e frequentemente errados) pressupostos por detrás de tais modelos climáticos que são a base de sustentação de toda a teoria das "alterações climáticas" ou, como esse imaginativo gráfico tenta mostrar, do "aquecimento global" culpa das emissões não naturais de CO2.


«A avaliação de adequação "média" foi atribuída a 6 países (China, União Europeia, México, Noruega, Suíça e Estados Unidos da América)»

A credibilidade das informações já chegou, infelizmente, a um tal nível que já nem se importam de nos "informar" que agora a União Europeia passou a ser considerado país...


«As contribuições de Austrália, Canadá, Japão, Nova Zelândia, Singapura, Coreia do Sul e Rússia foram consideradas inadequadas»

Pudera! É que há países que, de uma maneira ou de outra, são obrigados, pelas suas próprias circunstâncias, a enfrentar a dura realidade dos factos.

Uns a nível económico (como julgo que seja evidente) e outros como a Rússia (de que já aqui falei num anterior comentário) que se viu forçada a encomendar uma armada de enormes navios quebra-gelo...

http://climaticas.blogs.sapo.pt/alteracoes-climaticas-sao-vistas-como-37372#comentarios

http://barentsobserver.com/en/arctic/2015/05/new-icebreakers-open-way-russia-arctic-05-05
(New icebreakers open way for Russia in Arctic)

...ou como o Canadá (reparem só na ironia) em que uma expedição de pesquisa sobre o aquecimento global em operação no Árctico num navio quebra-gelo (notícia de 22 de Julho deste ano) foi obrigada a cancelar as suas operações para socorrer navios na... Baía de Hudson naquelas que são as piores condições de gelo de Verão em 20 anos!

http://www.cbc.ca/news/canada/north/ccgs-amundsen-re-routed-to-hudson-bay-to-help-with-heavy-ice-1.3162900?cmp=rss

localização da Baía de Hudson:

https://www.google.pt/maps/@55.1236674,-97.0436132,3z
(esclarecimento: é apenas um mapa da google portanto não fiquem já todos excitados por não verem qualquer gelo)


«Os dez maiores emissores que ainda não apresentaram as suas contribuições nacionais são: a Índia, o Brasil, Irã, Indonésia, Arábia Saudita, África do Sul, Tailândia, Turquia, Ucrânia e Paquistão, representando em conjunto 18% das emissões das emissões globais ainda não abrangidos por INDCs.»

Então queriam que, por exemplo, um país como o Brasil que já entrou oficialmente em recessão económica se pudesse dar ao luxo de entrar em politicas climáticas não apenas demasiado caras para a economia como absolutamente extravagantes e esbanjadoras que colocariam muitas empresas em ainda maiores dificuldades financeiras e com o potencial de agravar ainda mais a recessão?

E o Brasil é apenas um exemplo!


(Ah, felicitações e uma palmadinha nas costas para... mim pois é este o meu quinquagésimo comentário em dois meses, ou seja, desde 1 de Julho.
E também para a Quercus por ter criado este espaço de luta contra o "aquecimento global" ou "alterações climáticas"... quer-se dizer, espaço de luta contra as suas ideias, obviamente!)

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.