Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Estradas elétricas podem estar a caminho da Inglaterra

Terça-feira, 25.08.15

 

Os britânicos poderão "brevemente" conduzir em estradas elétricas, segundo planos divulgados pela Highways England.

 

A agência governamental anunciou estar a analisar a possibilidade das auto-estradas e estradas principais serem equipadas com tecnologia sem fios de transferência de energia, que poderia ser colocada por baixo do pavimento da rodovia.

 

A Highways England completou já um estudo de viabilidade e de execução financeira, depois do Governo se ter comprometido em disponibilizar 500 milhões de libras nos próximos cinco anos para manter o país na vanguarda tecnológica.

 

Utilizando a mais recente tecnologia de transferência de energia, o projeto iria basear-se na construção de redes sem fios debaixo das auto-estradas e estradas principais de todo o país, permitindo que os veículos elétricos recarreguem as suas bateriais enquanto circulam.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 10:33

Política de transportes de baixo carbono para a Europa no horizonte pós-2020

Sexta-feira, 17.07.15

A Federação Europeia para os Transportes e Ambiente (T&E), da qual a Quercus faz parte, divulgou esta semana um artigo que inclui contributos de vários investigadores reconhecidos do IEEP, TEPR e ICCT intitulado “Low Carbon Transport Fuel policy for Europe Post 2020 – How can a post 2020 low carbon transport fuel policy be designed that is effective and addresses the political pitfalls of the pre 2020 policies?”.

 

Este artigo procura identificar uma base de elaboração de políticas sobre os combustíveis de baixas emissões de carbono para o setor dos transportes no período pós-2020, assim como a sua concepção no futuro. Para tal, as prioridades de política, as mudanças comportamentais dos principais agentes, as abordagens para a monitorização e elaboração de novas políticas pelos decisores devem ser sistematicamente revistas e analisadas.

 

Com base nesta análise, algumas necessidades foram identificadas como principais opções de política para os combustíveis no setor dos transportesem 2030, e que podem ser satisfeitas através da promoção de combustíveisde baixas emissões de carbono, em vez de outras medidas legislativas como normas sobre as infraestruturasouemissões dos veículos.

 

Para ser eficaz a ação sobre a descarbonização dos combustíveis, a Europa deverá incidir a sua ação sobre os seguintes aspetos, independentemente da natureza definitiva do quadro político:

 

Combustíveis fósseis: medidas de apoio para a escolha de combustíveis que garantam a redução ou estabilização da sua pegada de carbono ao longo do tempo, em linha com as prioridades e as medidas mais amplas que promovam a descarbonização, como a disponibilização de informação para a tomada de decisão sobre o mix de combustíveis tendo por base a preocupação com a redução das suas emissões;

 

Biocombustíveis: medidas destinadas a proporcionar uma base clara para a diferenciação entre os diferentes biocombustíveis e os riscos associados à sua utilização de forma contínua; para garantir medidas de promoção dos biocombustíveis não são aplicados aqueles que apresentam “ alto risco”, ou seja, aqueles que não reduzem de forma significativa as emissões de gases com efeito de estufa ou irá resultar em impactos inaceitáveis ​​para o ambiente de uma forma geral e/ou afetar o preço dos alimentos;

 

Eletricidade: para aumentar a quota de eletricidade nos transportes e esta ser progressivamente de origem renovável no futuro, são necessárias medidas de apoio à maior disponibilidade de pontos de carregamento dedicados para facilitar ativamente a penetração dos veículos elétricos na frota; e medidas de apoio às políticas voltadas para a mobilidade elétrica e a sua integração com as fontes de energia renovável;

 

Hidrogénio: para a quota de hidrogénio aumentar no setor dos transportes e ser progressivamente de origem renovável para o futuro devem ser estabelecidas medidas de apoio à implantação de infraestrutura de abastecimento de combustível dedicado à medida que os veículos movidos a hidrogénio aparecem no mercado; e medidas destinadas a apoiar as políticas que visam a uma maior penetração dos veículos a hidrogénio.

 

Artigo completo aqui

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 09:30

Quercus apela à participação na iniciativa "Lisboa Ciclável pelo Clima"

Quarta-feira, 10.09.14

A Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FCPUB) realiza no dia 20 de setembro, sábado, pelas 14h, a partir do Terreiro do Paço, um percurso de ida e volta até Belém. O "Lisboa Ciclável" já conta com centenas de participantes inscritos, no âmbito da Semana Europeia da Mobilidade que decorre entre 16 e 22 de setembro. A Quercus junta-se a esta iniciativa, apelando a uma "Lisboa Ciclável pelo Clima", como forma de sensibilização e alerta para a necessidade de recorrermos cada vez mais a uma mobilidade baseada nos modos suaves, com benefícios para o ambiente e para o clima.

A iniciativa realiza-se três dias antes da Cimeira especial sobre o Clima, que terá lugar dia 23, em Nova Iorque, organizada pelas Nações Unidas, e na qual é esperada a presença de vários Chefes de Estado e de Governo. Esta Cimeira será um momento fundamental de sensibilização e compromisso, com vista ao Acordo de Paris, um acordo global essencial para travar as alterações climáticas que se espera alcançar em Dezembro de 2015.

No domingo, dia 21, Dia Global de Ação pelo Clima, decorrerá às 11h30 locais de Nova Iorque a Marcha Popular pelo Clima, que juntará milhares de pessoas num mega evento, no qual a Quercus estará presente. Portugal contará com mobilizações em Lisboa e no Porto, entre as quais a 'Lisboa Ciclável pelo Clima', onde juntamos duas mensagens que estão directamente relacionadas: a promoção da mobilidade sustentável e a luta contra as alterações climáticas. No nosso país, os transportes, e em particular o transporte rodoviário, são responsáveis por mais de um quarto das emissões de gases com efeito de estufa, para além de outros poluentes.

As inscrições para participar no percurso são gratuitas e podem ser efetuadas aqui. Um pouco por todo o Mundo terão igualmente lugar centenas de eventos de mobilização durante o fim-de-semana de 20 e 21 de setembro, disponíveis em http://peoplesclimate.org. Em Portugal, terão também lugar a Marcha Contra As Alterações Climáticas – Salvem o Planeta (Rossio, Lisboa, 16h) e a Marcha Invicta pelo Ambiente (Parque da Cidade, Porto, 14h).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Quercus às 12:43





calendário

Novembro 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930